Arquivo do autor:Kel Coelho

Segunda-Feira de Mulherzices – Retrospectiva

Boa Tarde e Boa Segunda Feira!

Estavam com saudades do Senshi? Tenho certeza que sim! Se não estavam finjam que sim pq a gente é carente!

E estamos em mês de aniversário do SENSHI!!!  \o/

Como recordar é viver, vamos celebrar nosso primeiro aninho de vida revendo alguns dos posts mais marcantes de 2012, que tal?

Primeira segunda do ano, Senshi de volta das férias e, como toda segunda, hoje é dia de Mulherzices!

Ano passado um os posts mais legais da coluna, talvez o mais polêmico, foi o que colocou em pauta a utilização ou não da pílula anticoncepcional masculina. Tivemos muitas respostas tanto positivas quanto negativas quanto a esta proposta e foi ótimo estar em contato com os leitores e saber a opinião geral.

Pra quem leu, está aí para ler de novo! Para quem não leu ainda, ta aí também!

Leiam, compartilhem e nos dê a sua opinião, independente se favorável ou contrária!

A pauta de hoje é um tanto delicada mas é um assunto que precisa ser abordado abertamente e há muito tempo vem sendo neglicenciado, trata-se da influência do machismo e do feminismo (nesse caso do feminismo) na sociedade atual, mais especificamente na interferência destes movimentos na ciência. Desde a revolução feminista com o advento da pílula anticoncepcional cabe quase que totalmente à mulher se precaver com o que diz respeito aos métodos contraceptivos, a camisinha surgiu para ajudar nessa tarefa e dar um pouco mais de responsabilidade aos homens mas, principalmente dentro de relacionamentos estáveis, quando a mulher toma pílula a camisinha é descartada com uma facilidade enorme. Acontece que isso faz com que as mulheres tenham além da responsabilidade um grande poder ( Tio Ben é vc?). A mulher pode simplesmente parar de tomar os comprimidos e o parceiro nunca vai saber aí dentro de em média 3 meses pow, gravidez.  Infeliz e vergonhosamente não é difícil achar por aí mulheres que se aproveitam desse poder pra engravidar sem que os parceiros estejam 100% de acordo e mulheres fazem isso pelos mais diversos motivos.

Os hormônios agem no corpo da mulher com uma ferocidade muito maior do que nos homens, é cientificamente comprovado as alterações nos hormônios femininos provocam muito mais efeitos colaterais do que os hormônios masculinos, ta aí a tpm que não me deixa mentir. Homens e mulheres possuem ciclos hormonais ao longo do tempo mas nas mulheres as variações de ciclo se tornam mais evidentes, por este motivo que muitas mulheres não se sentem bem ao tomar pílulas anticoncepcionais, certas concentrações hormonais provocam grande mal estar, tonturas, náuseas, alterações de peso, humor e até problemas cardíacos nos casos mais graves. Algo que poderia ajudar neste quadro e facilitar um pouco a vida das mulheres seria uma pílula anticoncepcional masculina. E ela existe e funciona.

Explicando: desde os anos 70 existem estudos a respeito de pílulas masculinas que funcionariam basicamente de duas formas, inibindo a produção de espermatozoides ou infertilizando os espermatozoides produzidos. Parando de tomar a pílula o efeito se reverte, da mesma forma que acontece com as pílula feminina. Existe um médico brasileiro chamado Elsimar Coutinho que trabalhou com equipes de cientistas de várias partes do mundo e conseguiu criar uma pílula que garante certa de 92% de eficiência, pouco a menos do que a feminina que é de 97%, porém com muito menos efeitos colaterais. Esta pílula é produzida e se tornou um dos grandes aliados no programa de controle de natalidade na China, vem sendo utilizada há quase 20 anos. Agora a pergunta, onde está esta pílula que não chegou ao conhecimento geral? Falta de interesse dos laboratórios e rejeição em massa por parte de movimentos feministas mundiais.

Em um congresso mundial estavam presentes autoridades políticas e sociais e representando a ciência estava Elsimar Coutinho, ele mostrou o projeto e foi quase linchado, a ponto de ter que sair pelos fundos. Sabem qual a justificativa dos movimentos feministas? Que o homem não deveria tomar esse tipo de medicamento porque compete às mulheres a decisão de ter filhos ou não. Minha reação imediata a essa justificativa foi “e onde diabos fica o direito do cara de decidir se quer ter filhos ou não?” Quer dizer que o movimento feminista só defende direitos iguais quando é conveniente, isso? O homem não pode ter a opção de utilizar um método contraceptivo de sua escolha?

Olha, não vou cuspir no prato que eu comi, sei que se tenho acesso a estudo, mercado de trabalho e muitos dos direitos como cidadã eu devo aos movimentos feministas que lutaram e queimaram sutiãs por mim, só que nesse caso o feminismo foi egoísta e ignorante, estão fazendo exatamente o que fizeram conosco durante séculos, tirando a possibilidade de escolha. Elas justificavam que seria muito fácil os caras usarem isso como desculpa pra transar sem proteção e deixar a mulher com as consequências. Ora isso já acontece hoje! Com lábia e o tonta certa muitos caras já fazem isso facinho. É uma questão de ética, de caráter e moral, a existência ou não da pílula não mudaria isso. E onde fica a ética daquela mulher no início do post, que usa uma gravidez pra prender um cara, tentar salvar casamento, golpe da barriga e tantos outros usos? Não seria a hora de discutir a ética dela diante do parceiro também? Com essa rejeição de grupos feministas muitas partes do mundo, inclusive o Brasil que já tinha um laboratório na Paraíba pronto pra produzir o remédio, as pílulas masculinas foram deixadas de lado. Sei que a China já adotou o método há muitos anos, pesquisei mas não encontrei notícias sobre outros locais que a utilizam. Achei a iniciativa inovadora, apesar da ideia já ser antiga, é prática e que poderia facilitar a vida de muitos casais. O homem poderia tirar um pouco do peso das costas da parceira o que faria um bem danado a muitos relacionamentos por aí. Que tal parar e pensar um pouco no assunto?

Enfim, eis um vídeo com a entrevista do cientista Elsimar Coutinho em que ele conta um pouco da luta e das experiência dele trabalhando nesse projeto.

Todas as opiniões expressadas nesse texto são estritamente pessoais.

 

O Pioneiro em Saltos da Estratosfera (e sem Red Bull)

mundo inteiro ta comentando o salto de 120.000 pés (+/- 39km) de Felix Baumgartner, todos super impressionados e empolgados, acontece que há 52 anos um homem saltou de paraquedas de uma altura de mais de 100.000 pés (cerca de 32km) sem nem metade 

Joseph Kittinger nasceu em 1928 e é um astronauta que trabalhou em projetos de balões de hélio para a força aérea norte americana, ficou famoso por participar do projeto Excelsior testando o sistema Beaupre de paraquedas para saltos de grandes altitudes e a velocidades supersônicas. Durante o Projeto Excelsior Joseph saltou nada menos que três vezes da estratosfera. Sim amiguinhos, TRÊS VEZES, há mais de 50 anos. chupa essa Felix   E isso sem metade do aparato tecnológico que Felix teve o que, com certeza, requer muito mais coragem.

 

Em seu primeiro salto Joseph foi parcialmente sufocado pelas cordas do paraquedas e quase morreu, no terceiro salto, durante a subida, o piloto começou a sentir uma forte dor na mão direita causada por uma falha em sua luva de pressão. Aparentemente, a luva falhou devido a uma rachadura na linha de oxigênio o que causou um dano permanente em sua mão por conta da despressurização e das baixas temperaturas que enfrentou. O detalhe é que ele percebeu o problema na luva durante a subida e não quis relatar pra não estragar a missão. Corajoso nada né?

Esse último salto foi de um balão de hélio de uma altitude de 31,3 quilômetros (102.800 pés), no ano de 1960. Ele ficou em queda livre por 4 minutos e 36 segundos  antes de abrir seu pára-quedas a 5.500 metros do chão. O tempo total do salto foi de 13 minutos e 45 segundos e o piloto foi exposto a temperaturas de até -70 Celsius.

Naquele momento foram batidos os recordes de:

  • maior altitude alcançada por um balão,
  • maior altitude de um salto de paraquedas,
  • maior salto em queda livre
  • maior velocidade atingida por um homem através da atmosfera.

Seus recordes permaneceram intactos até esse final de semana, nada menos que 52 anos. Além disso, os recordes só foram batidos com a ajuda do próprio Joseph Kittinger que foi integrante de honra da equipe do projeto “Red Bull Stratos”, atuando como consultor, treinador e principal contato de rádio entre o solo e a cápsula onde se encontrava Felix Baumgartner. Em uma palavra, respeito.

Além do Realismo

Já ouviram falar no  Tjalf Sparnaay?

É um pintor holandês que pinta quadros hiper-realistas e tem como principal inspiração os alimentos.  Tjalf é artista há muitos anos e viaja o mundo divulgando sua técnica de e inspirado jovens artistas. Toda a sua obra é riquíssima em detalhes que chamam a atenção e surpreendem os observadores.

Atualmente ele está viajando com sua exposição pela Europa com planos de passar pelo Canadá e Estados Unidos, no site do artista não tem planos de passagem pelo Brasil, uma pena.

Vejam mais algumas obras desse fabuloso artista:

Beijos e até a próxima!!

Releituras de Clássicos dos Anos 90

Galera,

vejam que releituras lindinhas!

Adorei o Buzz e admito que demorei um pouquinho pra reconhecer os Rugrats.

O que acharam?

Segunda-Feira de Mulherzices – Perfeição, será?

Toda mulher “precisa” ser perfeita. Fato. Somos cobradas disso diariamente durante a vida toda.

Desde a infância existe muita cobrança quanto aos modos e comportamentos adequados para as meninas. Muitas vezes isso é visto de forma tão normal que passa despercebido. Meninos podem se sujar, correr e gritar, no máximo são chamados de mal-criados e levam uns puxões de orelha, outros dizem que é fase.  Meninas não podem ter fase. Meninas tem que se comportar. Ponto. Aí sempre vai ter uma pra dizer – Não, eu podia fazer tudo, eu brincava e não sei mais o quê.  Na boa. Mentira. Mulheres precisam ter jeito de moça, andar feito moça, sentar como moça, comer feito moça, ter postura de moça. Vamos lá garotas, quem nunca ouviu isso?

Então a gente cresce e vai pra escola. Meninos que sentam no fundão, brigam, gritam, matam aula. Outra vez, fase. Agora, uma menina na mesma situação é inaceitável. Meninas tem que ter notas boas, não podem matar aula, precisam chegar em casa cedo, limpas, penteadas, menina não suja, não se machuca correndo, são delicadas e comportadas, elogio na reunião dos professores, letra bonita e caderno caprichado.  Podem dizer que menina tem que ser assim mesmo, ta certo. Mas não é assim que começa o machismo? Definindo o limiar entre as coisas de menina e as coisas de menino?

Chegando à adolescência tudo piora e muito. Além de tudo o que já foi dito vem a maldita ditadura da beleza. Nós não somos ensinadas a gostar de nós do jeito que somos, não somos ensinadas que beleza é um conceito individual e subjetivo, não somos ensinadas que ser diferente é legal. Toda cultura tem seu padrão de beleza, independente de qual seja, as mulheres sofrem com ele. Aqui no ocidente temos o modelo alta-magra-cabelão. O Brasil em toda a sua mistura de jeitos, cores e formas, com suas mulheres para todos os gostos e ainda assim seguimos o modelo alta-magra-cabelão. Mas isso não é privilégio da cultura ocidental, certa vez vi um documentário sobre uma região africana em que a beleza feminina está ligada à gordura extrema. Gordura é associada à poder aquisitivo, família boa, menina magra não casa. As meninas são mantidas presas em suas camas para não gastarem energia, são engordadas feito gado. Tudo em nome dos padrões de beleza.

Voltando ao ocidente, alcançamos a vida adulta e com ela a cobrança aumenta exponencialmente. Somem tudo que há acima com o fato de que a mulher precisa ter sucesso  profissional, relacionamento estável, ser boa dona de casa, andar linda e na moda, cabelos sempre perfeitos e bom humor impecável. Sim, o bom humor é fundamental.

Um homem de mal humor está tendo um dia ruim e deve ter seus motivos. Uma mulher de mal humor será eternamente mal comida, megera, ta de tpm, insuportável, grossa. Não importa que este comportamento tenha sido somente um dia. Esse dia será lembrado.

Um homem com uma camisa meio amassada, barba por fazer ou uma cara de ressaca, será alvo de uma piadinha ou outra. Coisa que não chega à mesa do almoço da empresa. Uma mulher que deixa de fazer a unha no final de semana, aparece sem maquiagem ou encosta o salto por um dia, será vista como desleixada. Stressou e rodou a baiana uma vez? Barraqueira. Não importa se acontece somente uma vez. É aquela imagem que conta.

Tudo isso é fruto de sociedades que cobram cada vez mais das mulheres. E cobram tudo. O sentimento de frustração é recorrente, a vida social vai bem mas está preocupada com o trabalho, ela ganha bem mas ta precisando perder uns quilinhos, está linda e magra mas não tem namorado, está linda, magra, ganha bem e é casada mas ainda não teve filhos, enfim, sempre falta alguma coisa. A sociedade nunca está satisfeita e, consequentemente, nós também não conseguimos ficar.

Olha Amélia, no seu tempo ser mulher de verdade era bem mais fácil…

50 Anos de James Bond

Nem só de Aston Martins vive James Bond…

Ao longo dos últimos 50 anos fomos brindados carros fantásticos que refletiam um pouco do estilo de cada fase de 007, desde a classe e elegância características de Sean Connery até os toques de violência de Daniel Craig, cada James Bond tinha um estilo distinto que era refletido nos carros utilizados em cena.

Recentemente o site alemão StyleCrave elegeu os sete melhores carros do  Agente Britânico, particularmente achei a seleção um pouco falha ao não colocar o Jaguar XKR de Die Another Day, nem o  Rolls-Royce Phantom lll 1937 de Goldfinger…

O que vocês acham?

BMW Z8 (1999)

Aston Martin DB5 (1964)

Toyota 2000GT (1967)

Lotus Esprit (1977)

Meu preferido !

Aston Martin DBS (2007)

Mustang Mach-1 (1971)

Alfa Romeo 159 (2008)

Pra quem não se contenta com apenas uma pequena amostra, em homenagem ao cinquentenário de James Bond o National Motor Museum, localizado em Beaulieu, Inglaterra, juntamente com a revista Empire e a EON Productions, que reúne todos os filmes do Bond já filmados, montaram uma exposição com cerca de 50 carros que marcaram esses 50 anos. A exposição é a maior reunião de automóveis usados por James Bond já vista! Está aberta para visitas desde o início do ano com previsão de término em dezembro.

Para quem quer ter o gostinho de relembrar algumas cenas protagonizadas por estas máquinas, segue um vídeo que reuniu todos os James Bond’s em uma única corrida !

Confiram!

Ah, e esse ano tem novo filme de James Bond, Operação Skyfall, já viram o trailler?

Beijos e até a próxima!

Segunda-Feira de Mulherzices – As Mais Ricas do Brasil

A Revista Forbes já divulgou a lista com as mulheres mais ricas do país, que tal avaliar o patrimônio delas?
 
1° -Dorothea Steinbruch e família – R$ 5,34 bilhões
Ela é herdeira da maior industria têxtil da América Latina,Grupo Vicunha, e é reconhecida internacionalmente apoiando grandes eventos de moda. O patrimônio dela e de sua família (3 filhos e 4 netos) está avaliado em 5,34 bilhões, incluído a participação em siderúrgicas e bancos, nada mal!
 
2° – Ana Lúcia de Mattos Barretto Villela – R$ 4,79 bilhões
Ela é, nada menos, que a maior acionista individual do Banco Itau-Unibanco (Itau S/A), em conjunto com seu irmão Alfredo, cada um com 7,2% dessa holding que esta avaliada em R$ 52 bilhões, assim sendo o maior banco privado do pais e um dos 15 maiores do mundo.
 
3° – Ana Maria Levy Villela Igel e família – R$ 3,80 bilhões
Viúva e herdeira do Grupo Ultra, que através de sua holdings controla a Ultragaz, BrasilGaz, Ultrapar e Oxiteno. Durante muito tempo Ana atuou como uma das diretoras executivas na administração da empresa, hoje é conselheira e tem dedicado os seus dias em participações em organizações sociais de apoio a crianças e idosos. Atualmente está com 69 anos.
 
4° – Dulce Pugliese de Godoy Bueno – R$ 3,79 bilhões
Aos 68 anos, é médica e sócia do Grupo Amil, a maior empresa de assistência médica privada do Brasil. Apesar de ter fundado a empresa junto com o Dr Edson de Godoy Bueno quando ainda era seu marido, eles se separam e continuam no comando da compania, ele como presidente, com patrimônio de R$ 4.10 bilhões e ela vice com 3.79 bilhões.
Imaginem que divertidas as reuniões de cúpula dessa empresa! Será que tem barraco? Ok, acho que não. Mas seria muito mais legal se tivesse, imaginem um “Casos de família” : TEM 4.10 BILHÕES MAS FICA MENDIGANDO A GASOLINA DO JATINHO. Problemas de gente rica…
 
5° – Maria de Lourdes Egydio Villela – R$ 3,13 bilhões
Milú, como é conhecida, tem 69 anos, é divorciada, tem um casal de filhos e um fortuna de herança que a tornou uma das mulheres mais ricas do Brasil junto com sua sobrinha Ana Lúcia (2° colocada). Ela tem 4.9% de participação no Grupo Itaú S/A que inclui o Banco Itaú, Itaútec (computadores), Duralex (Mat. construção) e Elekeiroz (química). É também a atual presidente do Museu de Arte Moderna de São Paulo. Como será o amigo oculto de fim de ano nessa família?
 
6° – Lina Maria Aguiar – R$ 2,44 bilhões
Lina e Lia Maria Aguiar, ocupam a 6° e 7° posição consecutivamente, a história das duas irmãs se resumem na mesma. Elas são as duas das 3 filhas adotivas de Amador Aguiar, fundador do Bradesco, que não tiveram herança no testamento, mas brigam a anos na justiça por aproximadamente 1% do valor do banco que atualmente esta em R$105 bilhões.
 
7°- Lia Maria Aguiar – R$ 2,00 bilhões
As irmãs Lia e Lina, gêmeas de 74 anos, brigam na justiça até hoje pelos bens deixados pelo seu pai. Sócio fundador do Grupo Bradesco. Esses bens não incluem o Bradesco, pois em testamento de Amador Aguiar, a empresa seria controlada pela Fundação Bradesco. A briga é por um acordo feito a 30 anos atrás, que daria a elas mais de 1 bilhão. Os bilhões que tem atualmente, a principio seria de uma espécie de “doação” feito pelo pai em vida. Agora eu pergunto, quando elas pretendiam gastar esse bilhão adicional? Porque né? Já tão com 74 aninhos… 
 
8° – Maria Cláudia Amaro – R$ 1,63 bilhão
Maria e seu irmão, são presidentes do conselho de administração da TAM. Fruto de herança do finado comandante Rolim Amaro, os dois filhos administram a empresa fundada pelo pai. Nesse ano de 2012 deram salto grande na história da aviação, a TAM se uniu a LAN (Chile) e formaram a maior companhia area da america latina. 
 
9° – Luiza Helena Trajano e família – R$ 1,19 bilhão
Creio que essa Luiza todos conhecem, ela é CEO do Magazine Luiza. Ela começou sendo balconista em loja de presentes dos tios, se tornou gerente da loja, e expandiu para vários pontos da cidade, até chegar ao que é hoje, 600 lojas, 21 mil funcionários, tudo conquistado com suor. Atualmente ela é ministra da secretaria da Micro e Pequena Empresa do governo da Dilma. A única da lista que não “ganhou” sua fortuna pelo esforço de outros, trabalhou para merecer o que tem!
 
10° – Denise Goldfarb Terpins e família – R$ 1,05 bilhão
O pai de Denise, Bernardo Goldfarb, abriu o negócio que se chamou “Marisa Bolsas”, mal sabia ele, que 60 anos depois iria se tornar uma das maiores redes de lojas de departamento do Brasil, com 336 lojas Marisa espalhadas em território nacional. Toda composição da empresa está nas mãos da família. Denise possui 6.49% e atua como conselheira de administração da companhia.
 
Como estará esta lista em 10 anos? Será que haverão mais ‘Luizas’ que herdeiras? É o que a gente espera né?
 
Beijos seus lindos!
 

Segunda-Feira de Mulherzices – Do Cavalheirismo ao Sexismo Barato

Há alguns dias me deparei com a seguinte frase “Cavalheirismo é o nome que as mulheres dão à parte do machismo que lhes é conveniente”. (Via@arbustus)

Isso me fez pensar: onde termina o cavalheirismo e começa o feminismo condicional?

Voltando algumas décadas na história podemos nos lembrar da época em que as mulheres não trabalhavam porque não podiam, logo não tinham renda própria e quando possuíam algum patrimônio não detinham o controle do mesmo. Neste cenário, realmente as mulheres dependiam dos homens para sair de casa, pagar contas, comprar qualquer coisa que precisassem. Depois de décadas de lutas essa situação mudou muito, hoje podemos estudar, trabalhar, sermos donas dos nossos narizes e definir os rumos de nossas vidas.

Então o que justifica em pleno século XXI mulheres agirem como há 60, 50 anos?

É engraçado e contraditório pensar que uma mesma parcela da população feminina queira dominar o mercado de trabalho, alcançar a equiparação salarial, porém vem dar chilique na hora de bancar o próprio cinema. Querem ser independentes e morarem sozinhas, mas não aprendem a trocar uma torneira porque isso é “serviço de homem”.

Para estas mulheres cavalheirismo é dar presentes, pagar a conta do restaurante, teatro, cinema, gasolina, hotel, motel, salão, roupas, sapatos, bolsas e maquiagem. Pegar e deixar em casa, levar pra faculdade, visitar a mãe, pai, tia, amiga, prima, gato, cachorro e periquito para, ao final do dia, gritar a altos brados que “não depende de homem nenhum”. Certa vez uma conhecida disse que o homem tinha mais que pagar as coisas mesmo pra “valorizar a mulher”. Querida leitora, se você é dessas tenho duas notícias:

1 – Valorizar é diferente de dar preço.

2 –  O que você está fazendo não passa de prostituição indireta. Afinal o cara ta pagando pra ficar contigo.

Aí vem os homens que dizendo adorar mulher independente, achar ótimo e maravilhoso que elas tomem as rédeas das situações e etc… Acontece que quando encontram uma mulher que tenta agir na contramão disso tudo e se virar sozinha de verdade, alcançar a verdadeira independência, pagar pelo próprio cinema, não gostam. Se sentem “castrados”, privados de fazer “coisas de homem” tipo pagar a conta. Aí fica difícil, meus amigos !

É mulher demais querendo se manter na zona de conforto, é homem demais querendo manter a “masculinidade” e os poucos que agem de forma diferente acabam pagando o pato disso tudo, se sentindo inseguros e sem saber direito como se portar.

Bem vindos à era do sexismo condicional, em que ser machista ou feminista depende do dia da semana.

Beijos, seus lindos!

We Will Be Back

Fazendo Falta

Olá lindos e lindas!

Ok, admitimos que ficamos devendo um post pela semana do rock… Mas vocês perdoam, certo?

O rock vem sofrendo baixas e nos deixando cada dia mais de coração partido, nossa perda mais recente foi essa semana quando Jon Lord, tecladista e co-fundador do Deep Purple, nos deixou aos 71 anos.

Pensando nisso, aqui fica uma singela homenagem a alguns dos que nos deixaram.

Quis deixar uma galeria pequena para que ela possa ser expandida com a ajuda dos leitores, e então, quem mais vocês querem ver nessa galeria?