Arquivo mensal: fevereiro 2012

Entendeu o Doodle de hoje?

Hoje a Google homenageia o 220° aniversário do compositor Gioachino Rossini, chamado de “O Napoleão da Música”. Nascido num ano Bissexto ( 55 anos bissextos arás),  Rossini era também chamado de o “Mozart Italiano”, assim como o compositor de Viena, ele também foi um talento precoce na música (começou a compor aos 12) e possuía um imenso apelo popular. Sua ópera mais famosa é o Barbeiro de Sevilla, que já teve inúmeras versões, representações e montagens. Uma adaptação muito popular foi no desenho do Pernalonga:

Agora, o porquê dos sapos? Aparentemente existe uma associação entre o ano bissexto, o Leap Year (ano do salto) e o salto dos sapos em países de língua inglesa. O ano bissexto tem por tradição nesses países ser representado por sapos, e o dia 29 de fevereiro (dia do salto) é comemorado:

Então, se há algum motivo para comemorar esta data, o Coletivo Senshi deseja a vocês um excelente ano bissexto!

Banksy e King Robbo, a guerra do Graffiti.

O nome Banksy virou sinônimo de arte subversiva e questionamento da indústria cultural. Sua obra chamou a atenção do mundo, como o seu mural na Faixa de Gaza, aliando graffiti com questionamento político:

Seu documentário, Exit Trough the Gift Shop questiona toda a lógica da comercialização artística, misturando fatos reais com ficção ao criar a figura do Mr. Brainwash, e inclusive concorreu ao Oscar em 2011:

Outros fatos chamam a atenção para Banksy, porém. Um deles é a notável disputa que ele e King Robbo, um dos graffiteiros mais antigos de Londres travaram. King Robbo criou um dos graffitis mais antigos da cidade, no túnel de Camden em 1985, local cujo único acesso é através de barco:

Em 2006, a assinatura foi “estragada” por outros Graffiteiros:

Em 2009 Banksy entra na história  após receber críticas de Robbo no livro London Hands Styles e cria um stencil “desmanchando” a obra:

Robbo abandona aposentadoria e manda sua resposta para o Banksy poucas semanas depois:

Banksy segue a provocação de Robbo e continua com a disputa meses depois:

Alguns meses depois. Robbo simplesmente apaga o “fuc” e deixa como está:

Depois alguém apaga o graffiti passando tinta preta por cima. Não se sabe se foi a prefeitura ou outros graffiteiros:

Mais alguns meses depois e uma nova resposta de King Robbo:

Outra parede preta vem logo depois, dessa vez provavelmente por graffiteiros simpáticos a Banksy:

Em 2011, Banksy cria uma obra completamente nonsense na parede:

King Robbo pinta a parede de preto, pronto para uma retaliação. Porém, ele entra em coma antes de conseguir acabar a obra:

Sete meses depois, Banksy cria uma homenagem a Robbo reproduzindo o Graffiti original:

Logo em seguida, no final de 2011, partidários de Robbo passam a denegrir Banksy e sua homenagem:

Banksy responde com elegância e é rechaçado:

Artes de rua de Banksy são atacadas por graffiteiros  partidários de Robbo e a guerra continua:

Achei tão fascinante (quase cinematográfica) a disputa entre Robbo e Banksy. A pergunta é a mesma que envolve tudo com o nome de Banksy: o que é verdade, o que e mentira nessa história toda? Será que Banksy estava disputando com Robbo ou dando uma nova vida à carreira de Robbo? Será que Banksy perdeu de fato os valores de graffiteiro e está entrando no mundo da arte sem subversão? Teria ele, com toda essa brincadeira, dado armas aos seus críticos para destruírem suas obras sem aviso? Controverso ou não, Banksy é o único que consegue transformar o graffiti em um debate sobre arte no mundo.

Saiba mais spbre essa briga neste documentário:

Considerações sobre o Oscar.

Como acontece todos os anos, tivemos outra entrega do Oscar. A consagração dos realizadores da maior indústria do entretenimento premiando os seus. A cerimônia vem para honrar a tradição de uma indústria que já não está mais em seu auge, prejudicada pela pirataria e por outras formas de entretenimento, apostando mais em recursos (3D) que filmes  de qualidade.

Muitos dos filmes da lista são, de fato, muito bons. o Artista enquanto filme mudo ganhar o Oscar tem algo de notável, quase como uma metáfora de uma arte voltando às suas origens para redefinir sua identidade. Há um quê de retrocesso em não indicarem (ou não criarem uma categoria específica para)  Andy Serkis, por sua atuação em Planeta dos Macacos, a origem, que eu considerei o melhor filme do ano.

Aqui a lista geral de ganhadores.

Melhor Filme: The Artist (O Artista)

Melhor Ator: The Artist, Jean Dujardin

Melhor Diretor: The Artist, Michel Hazanavicius

Melhor Trilha Sonora: The Artist (O Artista)

Melhor Figurino: The Artist (O Artista)

Melhor Atriz: A Dama de Ferro, Meryl Streep

Melhor Maquiagem: A Dama de Ferro

Melhor Direção de ArteA Invenção de Hugo Cabret

Melhor Fotografia: A Invenção de Hugo Cabret

Melhor Som: A Invenção de Hugo Cabret

Melhor Edição de Som: A Invenção de Hugo Cabret

Melhores Efeitos Visuais: A Invenção de Hugo Cabret



Melhor Atriz Coadjuvante: Histórias Cruzadas, Octavia Spencer

Ator Coadjuvante: Toda Forma de Amor, Christopher Plummer

Melhor Edição: Millennium – Os Homens Que Não Amavam as Mulheres

Melhor Documentário: Undefeated

Melhor Animação: Rango



Melhor Canção Original: Man or Muppet, Os Muppets (Bret McKenzie)

Melhor Roteiro Original: Meia Noite em Paris

Melhor Roteiro Adaptado: Os Descendentes, de George Clooney

Melhor Curta-Metragem de Animação: The Fantastic Flying Books of Mr. Morris Lessmore

Melhor Filme Estrangeiro: A Separação

Não posso deixar de mencionar também a indicação de Carlinhos Brown e Sérgio Mendes, que não ganharam pela música Real in Rio (sensacional):

E deixou de ser o “primeiro baiano” a ganhar o Oscar, como definiu de forma lamentável o portal G1.

Já que estamos falando de baianos e do Oscar, vale lembrar de  Caetano Veloso cantando  Burn it Blue da trilha sonora do filme Frida, na cerimônia de 2003:

E o Sacha Baron Cohen dando pala como seu novo personagem, o Ditador, na cerimônia. Vocês viram? Eu só vi por aqui mesmo porque não tenho paciência para assistir ao Oscar!

Gustota particularmente se caga para o Oscar e prefere a lista de melhores filmes que o Quentin Tarantino lança todo ano. Os de 2011 foram:

1. “Meia-noite em Paris”

2. “Planeta dos macacos: A origem”

3. “O homem que mudou o jogo”

4. “A pele que habito”

5. “X-Men: Primeira classe”

6. “Jovens adultos”

7. “Ataque ao prédio”

8. “Red State”

9. “Guerreiro”

10. “O artista” / “Maluco Beleza” (empate)

11. “Os três mosqueteiros”

Aí sim, temos os bons filmes do ano! 

Segunda-Feira de Mulherzices – Pílula Anticoncepcional Masculina

Boa Segunda-Feira Galera!!

Primeiramente um comentário, a ideia da Segunda-Feira de Mulherzices é fazer uma coluna com posts a respeito do universo feminino, já falamos sobre jóias e esmaltes porquê sim, nós gostamos disso, acontece que a mente feminina vai muito mais além e a intenção do Senshi é falar um pouco de cada coisa que compreende este vasto universo.

A pauta de hoje é um tanto delicada mas é um assunto que precisa ser abordado abertamente e há muito tempo vem sendo neglicenciado, trata-se da influência do machismo e do feminismo (nesse caso do feminismo) na sociedade atual, mais especificamente na interferência destes movimentos na ciência. Desde a revolução feminista com o advento da pílula anticoncepcional cabe quase que totalmente à mulher se precaver com o que diz respeito aos métodos contraceptivos, a camisinha surgiu para ajudar nessa tarefa e dar um pouco mais de responsabilidade aos homens mas, principalmente dentro de relacionamentos estáveis, quando a mulher toma pílula a camisinha é descartada com uma facilidade enorme. Acontece que isso faz com que as mulheres tenham além da responsabilidade um grande poder ( Tio Ben é vc?). A mulher pode simplesmente parar de tomar os comprimidos e o parceiro nunca vai saber aí dentro de em média 3 meses pow, gravidez.  Infeliz e vergonhosamente não é difícil achar por aí mulheres que se aproveitam desse poder pra engravidar sem que os parceiros estejam 100% de acordo e mulheres fazem isso pelos mais diversos motivos.

Os hormônios agem no corpo da mulher com uma ferocidade muito maior do que nos homens, é cientificamente comprovado as alterações nos hormônios femininos provocam muito mais efeitos colaterais do que os hormônios masculinos, ta aí a tpm que não me deixa mentir. Homens e mulheres possuem ciclos hormonais ao longo do tempo mas nas mulheres as variações de ciclo se tornam mais evidentes, por este motivo que muitas mulheres não se sentem bem ao tomar pílulas anticoncepcionais, certas concentrações hormonais provocam grande mal estar, tonturas, náuseas, alterações de peso, humor e até problemas cardíacos nos casos mais graves. Algo que poderia ajudar neste quadro e facilitar um pouco a vida das mulheres seria uma pílula anticoncepcional masculina. E ela existe e funciona.

Explicando: desde os anos 70 existem estudos a respeito de pílulas masculinas que funcionariam basicamente de duas formas, inibindo a produção de espermatozoides ou infertilizando os espermatozoides produzidos. Parando de tomar a pílula o efeito se reverte, da mesma forma que acontece com as pílula feminina. Existe um médico brasileiro chamado Elsimar Coutinho que trabalhou com equipes de cientistas de várias partes do mundo e conseguiu criar uma pílula que garante certa de 92% de eficiência, pouco a menos do que a feminina que é de 97%, porém com muito menos efeitos colaterais. Esta pílula é produzida e se tornou um dos grandes aliados no programa de controle de natalidade na China, vem sendo utilizada há quase 20 anos. Agora a pergunta, onde está esta pílula que não chegou ao conhecimento geral? Falta de interesse dos laboratórios e rejeição em massa por parte de movimentos feministas mundiais.

Em um congresso mundial estavam presentes autoridades políticas e sociais e representando a ciência estava Elsimar Coutinho, ele mostrou o projeto e foi quase linchado, a ponto de ter que sair pelos fundos. Sabem qual a justificativa dos movimentos feministas? Que o homem não deveria tomar esse tipo de medicamento porque compete às mulheres a decisão de ter filhos ou não. Minha reação imediata a essa justificativa foi “e onde diabos fica o direito do cara de decidir se quer ter filhos ou não?” Quer dizer que o movimento feminista só defende direitos iguais quando é conveniente, isso? O homem não pode ter a opção de utilizar um método contraceptivo de sua escolha?

Olha, não vou cuspir no prato que eu comi, sei que se tenho acesso a estudo, mercado de trabalho e muitos dos direitos como cidadã eu devo aos movimentos feministas que lutaram e queimaram sutiãs por mim, só que nesse caso o feminismo foi egoísta e ignorante, estão fazendo exatamente o que fizeram conosco durante séculos, tirando a possibilidade de escolha. Elas justificavam que seria muito fácil os caras usarem isso como desculpa pra transar sem proteção e deixar a mulher com as consequências. Ora isso já acontece hoje! Com lábia e o tonta certa muitos caras já fazem isso facinho. É uma questão de ética, de caráter e moral, a existência ou não da pílula não mudaria isso. E onde fica a ética daquela mulher no início do post, que usa uma gravidez pra prender um cara, tentar salvar casamento, golpe da barriga e tantos outros usos? Não seria a hora de discutir a ética dela diante do parceiro também? Com essa rejeição de grupos feministas muitas partes do mundo, inclusive o Brasil que já tinha um laboratório na Paraíba pronto pra produzir o remédio, as pílulas masculinas foram deixadas de lado. Sei que a China já adotou o método há muitos anos, pesquisei mas não encontrei notícias sobre outros locais que a utilizam. Achei a iniciativa inovadora, apesar da ideia já ser antiga, é prática e que poderia facilitar a vida de muitos casais. O homem poderia tirar um pouco do peso das costas da parceira o que faria um bem danado a muitos relacionamentos por aí. Que tal parar e pensar um pouco no assunto?

Enfim, eis um vídeo com a entrevista do cientista Elsimar Coutinho em que ele conta um pouco da luta e das experiência dele trabalhando nesse projeto.

Todas as opiniões expressadas nesse texto são estritamente pessoais.

Promoção Senshi: Arzach de Moebius.

Olá meus amigos, tudo bem? o Coletivo Senshi agora quer presentear um de seus leitores com o sensacional álbum de arte Arzach, do Moebius. Lançado pela editora Nemo, levas as histórias de Arzach e uma história curta “O Desvio” que explica de maneira onírica como Moebius saiu dos quadrinhos ultra-realistas de faroeste para o mundo da fantasia.

O álbum de luxo possui 32×24 cm.

A promoção começa hoje (27 de fevereiro) e irá até o dia 23 de março.

 

Pra ajudá-los:

Fanpage do Senshi;

Perfil do Senshi no Twitter;

Matéria sobre o Arzach aqui do Coletivo.

No mais, obrigado pela audiência e boa sorte!

Quem te viu, quem te vê, Tatá Werneck.

Como a Xuxa continua assim até hoje só a Monange explica. Felizmente ela  superou a moda noventista dos coadores de café na cabeça. 

Senshicast 3 – Carnaval Zeitgeist

Senshicast de volta! Zeitgeist, ou o espírito de época (do carnaval). No calendário tupiniquim, é equivalente ao 31 de dezembro para o resto do mundo. Na etimologia da palavra “significa a carne vale” e seu significado está relacionado à quaresma católica, apesar da origem do carnaval ser pagã.

Neste Podcast fizemos um pequeno apanhado de dois carnavais de rua de Belo Horizonte, os blocos Então Brilha e Alcova Libertina. Lá, caímos na bagunça, encontramos vereadores exemplares, cantamos com os boêmios, entrevistamos as tartarugas ninjas… e o desconto na zona, vai rolar?

Problemas com o player? Faça o download aqui.

Galeria de Fotos:

Links relacionados:

Grupos de Facebook dos blocos:

Alcova Libertina

Então Brilha

Matéria sobre o aumento no salário dos vereadores, citado na matéria. Apenas 3 vereadores votaram contra, o entrevistado Arnaldo Godoy do PT, Iran Barbosa do PMDB e Neusinha Santos do PT.

A polêmica resposta (gravada em off) de Neusinha Santos sobre o voto contra o aumento:

Clipe com a marchinha da Alcova Libertina:

Conheça também a orquestra de percurssão Frito na Hora:

E um agradecimento todo especial para Cristina e Nathália do Audiolab da PUC MG. Não deixe de visitar o perfil deles no Facebook e a página da rádio online:

http://www.fca.pucminas.br/radio/

Matéria sobre a marchinha da Coxinha da Madrasta.

Gostou? Não gostou? Mande seu e-mail, correção, adendo, esporro ou o que for para coletivosenshi@gmail.com, e nós leremos (ou não) no próximo podcast!

E não deixe de participar amanhã da Promoção Arzach! Fique ligado!

Ballad of the Goddess com Harp Twins

Gente, vocês lembram das Harp Twins?

Aquelas loirinhas talentosíssimas que fazem versões na harpa de diversas músicas?

Bem, o trabalho delas já foi mostrado no Senshi mês passado e muita gente curtiu, quem ainda não viu pode conferir aqui.

Atendendo a pedido dos fãs elas fizeram uma versão encantadora de Ballad of the Goddess, de Legend of Zelda. Nerds gonna Nerd  \o/  Confiram!

Quem gostar do trabalho das meninas pode visitar a fanpage e dar uma força.

https://www.facebook.com/CamilleandKennerly

 

Indicados ao Framboesa de Ouro 2012

Saudações!

Saiu a lista com os indicados à 32ª edição do Framboesa de Ouro, evento que parodia o Oscar e escolhe os piores do ano no mundo da 7ª arte. A premiação, que geralmente ocorria um dia antes da entrega da estatueta mais cobiçada do cinema, acontecerá dia 1º de abril este ano.

Então, vamos aos filmes que “fizeram o índio chorar”:

Pior Filme

  • Bucky Larson: Dotado para Brilhar
  • Cada um Tem a Gêmea que Merece
  • Noite de Ano Novo
  • Transformers: O Lado Escuro da Lua
  • A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte 1

Pior Ator

  • Russell Brand – Arthur
  • Nicolas Cage – Fúria Sobre Rodas, Caça às Bruxas e Reféns
  • Taylor Lautner – A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte 1, Sem Saída
  • Adam Sandler – Cada um tem a Gêmea que Merece, Esposa de Mentirinha
  • Nick Swardson – Bucky Larson: Dotado para Brilhar

Pior Atriz

  • Martin Lawrence (“Momma”) – Vovó Zona 3
  • Sarah Palin (como ela mesma) – Sarah Palin The Undefeated
  • Sarah Jessica Parker – Não Sei Como Ela Consegue, Noite de Ano Novo
  • Adam Sandler (“Jill”) – Cada um tem a Gêmea que Merece
  • Kristen Stewart – A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte 1

Pior Ator Coadjuvante

  • Patrick Dempsey – Transformers: O Lado Escuro da Lua
  • James Franco – Sua Alteza
  • Ken Jeong – Vovó Zona 3, Se Beber Não Case 2, Transformers 3
  • Al Pacino (como ele mesmo) – Cada um tem a Gêmea que Merece
  • Nick Swardson – Cada um tem a Gêmea que Merece, Esposa de Mentirinha\

Pior Atriz Coadjuvante

  • Katie Holmes – Cada um tem a Gêmea que Merece
  • Brandon T. Jackson (“Charmaine”) – Vovó Zona 3
  • Nicole Kidman – Esposa de Mentirinha
  • David Spade (“Monica”) – Cada um tem a Gêmea que Merece
  • Rosie Huntington-Whiteley – Transformers 3

Pior Elenco

  • Bucky Larson: Dotado para Brilhar
  • Cada um Tem a Gêmea que Merece
  • Noite de Ano Novo
  • Transformers: O Lado Escuro da Lua
  • A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte 1

Pior Diretor

  • Michael Bay – Transformers: O Lado Escuro da Lua
  • Tom Brady – Bucky Larson: Dotado para Brilhar
  • Bill Condon – A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte 1
  • Dennis Dugan – Cada um Tem a Gêmea que Merece, Esposa de Mentirinha
  • Garry Marshall – Noite de Ano Novo

Pior Remake, Cópia ou Sequência

  • Arthur
  • Bucky Larson: Dotado para Brilhar (cópia de Nasce uma Estrela e Boogie Nights)
  • Se Beber Não Case Parte 2 (pior sequência e remake)
  • Cada um Tem a Gêmea que Merece (cópia de Glen ou Glenda)
  • A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte 1

Pior Dupla

  • Nicolas Cage e qualquer um em seus três filmes de 2011
  • Shia LeBeouf & A Modelo de Lingerie (Transformers 3)
  • Adam Sandler & Jennifer Aniston ou Brooklyn Decker  (Esposa de Mentirinha)
  • Adam Sandler & Katie Holmes, Al Pacino ou Adam Sandler (Cada um tem a gêmea que merece)
  • Kristen Stewart & Taylor Lautner ou Robert Pattinson (A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte 1)

Pior Roteiro

  • Bucky Larson: Dotado para Brilhar
  • Cada um Tem a Gêmea que Merece
  • Noite de Ano Novo
  • Transformers: O Lado Escuro da Lua
  • A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte 1

 

Confesso que não assisti a nem um dos indicados, justamente para não chorar de tristeza.

Aquele abraço

As leituras de sábado à noite – Arzach: Como ler um clássico dos quadrinhos sem nenhuma palavra?

Como falar de uma história em quadrinhos que não possui um único diálogo? E como pode um quadrinho assim ser considerado um dos mais revolucionários da história? Simples, estamos falando de Jean Giraud, um designer e cartunista francês extremamente famoso em seu país de origem e nas rodas dos adoradores de quadrinhos. Juntamente com nomes como Milo Manara, Enki Bilal e Paolo Serpieri revolucionaram os quadrinhos europeus de fantasia.

Estes nomes geniais lançaram suas obras notórias de ficção científica e fantasia na obra Métal Hurlant (no Brasil, a Heavy Metal magazine). A obra atraiu nomes geniais como os dos desenhistas já citados e do escritor Alejandro Jodorowsky, que criou juntamente com Moebius a extraordinária Incal:

Heavy Metal renovou a linguagem da ficção científica e dos quadrinhos em geral. Muito do que vemos em quadrinhos da Vertigo, em mangás de ficção científica e em filmes como o 5° elemento são derivadas desta obra. Arzach foi publicado em capítulos na revista até ser compilado neste volume em 1981.  A obra mostra um guerreiro/andarilho solitário que viaja um num mundo alienígena de fantasia a bordo de seu pterodáctilo de aspecto rochoso.

Arzach é uma ficção onírica para se ler com imagens. O personagens serve como os nossos olhos por um mundo confuso e delirante em que você não pode se ater a um detalhe. É um livro de arte que dialoga com a história cinematográfica do autor. Arzach  varia entre o realismo e o Art Noveau com cores bem vivas e influência da arte surrealista.

Arzach tem algumas adaptações inéditas  no brasil em animação:

A série de games Panzer Dragoon de Sega Saturn é baseada em Arzach (Moebius inclusive colaborou com o jogo):

 Por que ler (ver) Arzach em um sábado à noite?

Porque o Coletivo Senshi irá dar ele para você! Estaremos sorteando o álbum de luxo Arzach nesta segunda-feira! Não deixe de participar do nosso sorteio para esta sensacional obra de arte em quadrinhos!

Gustota imagina como deve ser difícil cuidar de um pterodáctilo de pedra.